Cuidadores informais – reportagem SIC

Na sequência do podcast sobre a temática dos Cuidadores Informais, publico aqui a reportagem realizada pela SIC sobre o mesmo tema. Um convite à reflexão, sobre o quanto todas estas existências estão tão próximas de nós, tão próximas que por vezes somos tentados a vê-las de uma forma distante…um olhar sobre quem em si liberta o amor na direção do próximo, erguendo-o no seu coração.

Os parabéns à SIC por esta reportagem, que vem trazer mais um contributo para a discussão pública que felizmente se vai começando a fazer sobre este tema, numa sociedade que tem de enfrentar ela mesma as “dores” da sua evolução.

Crédito do vídeo: SIC

Social – Cuidadores informais

A temática dos cuidadores informais tem estado na ordem do dia. São mais de 800.000 em Portugal, e entregam o seu Amor com dedicação aos seus familiares que, sejam pessoas idosas, sejam crianças e jovens, se encontram em estados de doença ou fragilidade avançada. Conheça um pouco mais das suas realidades, e apoie esta causa. Poderá encontrar informação complementar em:

Website – Associação Nacional de Cuidadores Informais

Facebook – Associação Nacional de Cuidadores Informais

É também com esta temática que também se inaugura a nova série dos podcasts do Omnia in Unum. Conheça as novidades no início do episódio.

Shadow

Talvez uma das curtas que me despertou mais a atenção até agora, este Sombra, de 2014, obteve o prémio Unifrance de curta metragem no Festival de Cannes no seu ano de estreia, e é realmente um filme muito bem conseguido. Suportado por um argumento no domínio do fantástico, muito bem idealizado, e por interpretações de qualidade, somos levados através de uma belíssima realização pela história de um modesto criador e manipulador de marionetas chinesas que, ao ter um acidente de mota após um dia de encanto por uma mulher de uma beleza irreal, se vai transformando ele próprio em sombra, unindo-se a essa mulher através de uma noite de amor, uma noite que amanhece numa nova dimensão, talvez a da irrealidade dessa mulher. É interessante ao longo do filme ver a realidade dos dois mundos personificados por estas duas pessoas, nomeadamente através da luz…o mundo escuro e degradado de Xiaou Shou, e o mundo moderno e luminoso de Ann servem não apenas para a definição dessa união em termos do interior das personagens, mas remete-nos igualmente para uma transição de tempos, numa sociedade oriental onde por vezes o tradicional diverge da caminhada do mundo moderno.

Muito bem realizado por Lorenzo Reci, com alguns pormenores muito interessantes de fotografia, é um filme que vale muito a pena ver.

Ficha IMDB

Crédito da imagem: Local Films