Salgado censurado

E

sta foi a fotografia de Sebastião Salgado, censurada pelo Facebook há alguns dias. Quando por vezes falamos da cegueira dos algoritmos, deveríamos talvez refletir um pouco mais sobre a cegueira dos homens. Em tempos onde a humanidade cada vez mais necessita, não apenas de um retorno ao essencial, mas igualmente de um retorno ao conhecimento do seu património, estrutura primeva dos seus alicerces, censurar o trabalho de Mestre Salgado, todo moldado pela forma como a sua visão do mundo se consubstancia em nós, ajudando-nos a caminhar no mesmo, é censurar a admiração do que somos, no nosso estado mais puro; e da pureza do mundo em que vivemos. Além disso, na era da Inteligência Artificial, dizer que estes algoritmos podem ser cegos desta forma nada mais é do que desviar a atenção de um falso pudor militante e tecnológico, de meninos que um dia gostavam de ser rebeldes, mas que se tornaram eles mesmos os censores modernos, Torquemadas 2.0 de um mundo em deriva Orwelliana.

Crédito da imagem: Sebastião Salgado