Extramuralhas 2018

Hoje começa o Extramuralhas (pode consultar a programação aqui), um dos acontecimentos culturais mais relevantes que tem lugar na cidade de Leiria. Retirado do seu lugar natural (o Castelo de Leiria, presentemente em obras) e que acompanhou o festival desde os primeiros tempos até ao presente, dando-lhe toda uma atmosfera que marcou a própria projeção do evento; a edição deste ano desce até à cidade para, em minha opinião, lhe trazer algo diferente, além da já tradicional movimentação dos grupos góticos. É que apesar de nos últimos anos as assistências do até agora Entremuralhas terem evoluído de forma crescente dentro da fortificação do Castelo, o envolvimento com a cidade acabava por não ser total, em termos do verdadeiro foco do festival, a música, e uma sempre excelente seleção de bandas que marca este festival. Não sei se o “Extra”muralhas voltará a ser o “Entre”muralhas, mas acho que se poderia ter muito a ganhar com um modelo intermédio, principalmente em termos de divulgação de novos sons e novas bandas de uma forma mais ampla.

Pessoalmente, tenho de confessar que não é a minha onda, e este artigo vai sendo escrito ao som do “Paraphernalia” de Miles Davis (do álbum Miles in the Sky). Mas mesmo o que por vezes pode não estar na frequência, em termos individuais, está sempre na experiência de diversidade que nos caracteriza a todos como humanidade, e é bom que este festival se mantenha durante muitos anos em Leiria, e que a Fade In continue o seu trabalho de divulgação de caminhos diferentes na esfera cultural leiriense.

Crédito da imagem: Região de Leiria