A parte essencial

O que fica após ver A Parte Essencial, uma curta metragem portuguesa de 2012é uma sensação de intimismo muito nítida, que persiste numa identificação clara com os testemunhos apresentados…numa base de animação bem conseguida em termos de visão do filme, o testemunho de pessoas que passaram pela experiência da leucemia interage com os testemunhos de pessoas que assumem o papel de dadores de medula, numa mensagem pessoal e equilibrada. Aqui sentimos um discurso íntimo, sem chavões, onde ideias como o recomeço, a esperança, a necessidade de mudar, viver, transformar, num aproveitamento diferente do tempo que temos e das relações que vivemos, é base comum. Encontramos esta dicotomia na relação entre os testemunhos, contextualizados visualmente por fotografias das próprias pessoas, numa montagem simples mas bem conseguida, e a animação de cenários tristes, secos, desolados, com alguma referência à construção de algo que rapidamente se vai…um retrato muito interessante, mesmo em termos da forma como na sociedade vivemos até a abordagem e a discussão destas situações, quase sempre envolvidas num embrulho de plástico numa pseudo nova era que de facto, não existe enquanto coletivo.

Sinceramente gostei. Uma mensagem muito positiva sobre a vida, a doença, o Ser e o Sentir, num conceito visual muito simples, mas igualmente muito leve.

Crédito da Imagem: Desconhecido. Solicito informação